• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
01/03/2016
Imagem retirada de http://patrocinados.estadao.com.br/portal-animal/2016/01/14/os-10-mais-comuns-na-alimentacao-de-cachorros-e-gatos/ Imagem retirada de http://patrocinados.estadao.com.br/portal-animal/2016/01/14/os-10-mais-comuns-na-alimentacao-de-cachorros-e-gatos/

A comida que você oferece ao seu pet influencia diretamente na saúde e no dia a dia do bichinho. Por isso, é importante entender que hábitos aparentemente inocentes na hora de alimentar o animal podem ser muito prejudiciais. Veja (e evite) estes 10 erros comuns quando o assunto é a nutrição de cães e gatos.

Deixar o comedouro sempre cheio
Mesmo comendo apenas ração, os gatos e cachorros podem ficar obesos se a quantidade de alimento for exagerada. “A obesidade se tornou um problema muito frequente entre os pets, devido ao fornecimento excessivo de ração, petiscos e comida caseira”, explica Marcela Tubini, médica veterinária da Petz.

Oferecer leite e derivados a animais adultos
Estes alimentos são indigestos para mamíferos adultos, o que pode causar flatulência, diarreia e vômito. Mesmo o leite próprio para pet é indicado somente até o primeiro mês de vida do animal, quando a mãe por algum motivo não conseguiu amamentar o filhote, orienta Marcela.

Dar petiscos e alimentos extras à vontade
Outro erro comum, devido à variedade de petiscos disponíveis no mercado. “Também leva rapidamente cães e gatos à obesidade e prejudica o equilíbrio da dieta”, diz Ana Flavia Chizzotti, médica veterinária e nutróloga da PremieR pet. “Oferecer mimos e agrados em excesso deixa o cão, principalmente, sem apetite para comer a ração”, acrescenta Raquel Labres, veterinária da Alimentarvet.

Misturar comida caseira e ração
Apesar de parecer um pequeno agrado ao pet, pode se tornar um problema. “Afeta o principal benefício das rações que é o de oferecer uma nutrição completa e balanceada. Sem contar o excesso de calorias, que pode levar à obesidade”, esclarece Ana Flavia.

Misturar diferentes rações
Esta prática pode anular os benefícios oferecidos pelas dietas industrializadas, que advêm justamente do fato de o alimento ser completo, segundo Ana Flavia. “Ao misturar ou trocar constantemente, este balanceamento nutricional fica totalmente prejudicado”, diz a veterinária.

Trocar de ração porque o animal “enjoou”
Quando fornecemos um alimento novo, os animais costumam querer consumir mais do que necessário por causa do “efeito novidade”, explica Ana Flavia. “Porém, cerca de 20 a 30 dias depois, o consumo e interesse pelo alimento voltam a um patamar usual, dando a sensação de que o consumo diminuiu porque ele enjoou”. Outro ponto importante é que quanto maior a variedade oferecida aos cães e gatos, especialmente de petiscos e extras, maior será seu grau de seletividade na escolha do alimento.

Servir comida igual à dos donos
É importante lembrar que cachorro e gato são espécies diferentes da nossa e têm necessidades fisiológicas específicas. Se adotada da maneira errada, sem balanceamento nutricional, a dieta caseira pode trazer danos à saúde dos animais, conforme explica Raquel. Um veterinário pode indicar como preparar uma comida com nutrientes equilibrados, específica para seu bichinho.

Usar linhaça na dieta do animal
Inserir a linhaça, a queridinha das dietas saudáveis para seres humanos, na alimentação dos animais pode ser um erro. “Cães e principalmente gatos não absorvem o ômega 3 de origem vegetal – presente na linhaça –, mas apenas o do óleo de peixe”, ensina Raquel.

Exagerar no cálcio para cães filhotes de porte grande
Cães de porte grande não devem receber suplementação de cálcio durante o crescimento e as calorias de sua alimentação precisam ser controladas, conforme orienta Ana Flavia. “O excesso de cálcio e de calorias leva rapidamente a problemas graves e, muitas vezes, irreversíveis em seu desenvolvimento ósseo e articular.” Se o nível de cálcio estiver muito alto, há riscos de desenvolver doenças osteoarticulares.

Dar suplementos alimentares sem necessidade
Alimentos completos não requerem suplementação. Por isso não dê suplementos ao seu pet, sem que haja uma recomendação do veterinário. “As rações premium e super premium atendem todas as necessidades vitamínicas e minerais do animal”, afirma Ana Flavia, da PremieR pet. “O uso sem supervisão de suplementos comerciais pode desequilibrar a quantidade desses nutrientes.” Se você desconfia que seu animal esteja com alguma insuficiência vitamínica, procure primeiro o veterinário.

 

Clique aqui para ler a matéria no site