• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
10/12/2019

Uma tendência inevitável para melhorar a eficiência produtiva e econômica

Por:
Alberto J. P. Nunes, Ph.D.
alberto.nunes@ufc.br
LABOMAR - Instituto de Ciências do Mar
Universidade Federal do Ceará

A produção mundial de camarões em cativeiro
é derivada de dois modelos bem distintos de
cultivo que se diferem principalmente em relação
aos seus níveis de intensificação. O modelo
semi-intensivo se estabeleceu na grande maioria
dos países produtores de camarão das Américas,
inicialmente no Equador nos primórdios da atividade
no final da década de 60. A produção nesse
modelo tem como pilar a capacidade de suporte do
sistema produtivo. A produtividade de camarões é
limitada por duas condições: (1) disponibilidade
de oxigênio dissolvido produzido naturalmente por
organismos fotossintéticos no ambiente de cultivo,
e; (2) capacidade de remineralização do material
orgânico gerado durante o cultivo, derivado das
excretas dos camarões, resíduos de ração, plantas
e outros organismos.

Acompanhe a matéria completa no link abaixo:

 A INTENSIFICAÇÃO NO CULTIVO DE CAMARÕES

Whatsapp