• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
16/03/2016
Imagem retirada de http://www.correiodoestado.com.br/cidades/aedes-aegypti-tambem-pode-transmitir-doencas-para-caes-e-gatos/273165/ Imagem retirada de http://www.correiodoestado.com.br/cidades/aedes-aegypti-tambem-pode-transmitir-doencas-para-caes-e-gatos/273165/

Mais uma doença infecciosa pode ser transmitida pelo Aedes aegypt, a dirofilariose, ou “verme do coração”. A doença é transmitida para a cães e gatos por meio da picada do mosquito infectado, dentre eles o Aedes. Os primeiros sinais de que o animal foi picado por um mosquito infectado podem demorar meses, por isso, fique atento.

Os mosquitos fêmeas picam um animal infectado pelo parasita, ingere as microfilárias (primeiras formas larvares) ao mesmo tempo que ingere o sangue do animal. O doutor Jonimar Paiva, Professor de Clínica Médica de Animais de Companhia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, em um período de 15 dias, a larva passar a ter um poder de infecção superior e quando o mosquito picar um animal sadio, as larvas migraram para seu corpo, onde seguem para a artéria pulmonar e o coração do pet, até desenvolver-se e atingir a fase adulta. Neste período, de cerca de seis meses, os parasitas podem alcançar até 25 cm de comprimento.

Em consequência da infecção, os animais apresentam sinais clínicos com o passar dos meses. A gravidade dos sintomas da dirofilariose varia de acordo com o número de vermes presentes no coração, podendo obstruir os vasos sanguíneos e causar insuficiência cardíaca. O animal infectado pela doença pode apresentar falta de disposição para exercícios e brincadeiras, além de tosse, emagrecimento e, em casos mais graves, falta de ar, barriga d'água, desmaios e hemorragias espontâneas, podendo causar a morte do pet.

O diagnóstico da doença em cães é realizado após consulta com médico veterinário para realizar exames laboratoriais específicos, exames radiológicos de tórax, eletrocardiograma, ecocardiograma, além de análises da função renal e hepática.

O tratamento da doença é essencial para que não seja fatal ao animal, mas a droga recomendada pela Sociedade Americana do Verme do Coração (American Heartworm Society) para destruir os vermes adultos, não está disponível no mercado brasileiro, por isso, a melhor forma de combater a transmissão, é acabando com a proliferação do Aedes.

CONTRA O AEDES
Veja os métodos de combate para acabar com a multiplicação do mosquito e assim, proteger além da família, os queridos pets:
• Retire a água parada no quintal e nas ruas;
• Limpe folhas e a sujeira de calhas, pois isso dificulta o escoamento da água;
• Coloque areia nos pratos de vasos de planta e monitore o volume de água;
• Mantenha a lata de lixo e os ralos devidamente tampados;
• Cubra caixa d'água, piscinas e aquários;
• Guarde baldes e garrafas vazias virados para baixo;
• Lave e troque diariamente a água de bebedouros de cães, gatos e passarinhos;
• Verifique se há água acumulada nas bandejas dos aparelhos de ar condicionado.