• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
23/08/2016
Imagem retirada de http://www.jornalcorreiodacidade.com.br/noticias/10305-apesar-da-crise-mercado-pet-se-mantm-aquecido Imagem retirada de http://www.jornalcorreiodacidade.com.br/noticias/10305-apesar-da-crise-mercado-pet-se-mantm-aquecido

Muitos setores e segmentos de comércio no Brasil estão sofrendo com a retração econômica que perpassa o país desde 2014. E não é para menos, ainda mais levando em consideração que é de 3,8% a previsão de contração econômica brasileira, realizada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) em abril de 2016.

Ainda que as dificuldades financeiras tenham atingido todas as pessoas físicas e jurídicas do país de alguma maneira, alguns setores conseguiram se manter funcionando a todo o vapor e ganhando cada vez mais empreendimentos, como, por exemplo, o segmento voltado para animais de estimação.

Juntamente com o setor de alimentação, o segmento de cuidados com os animais não deixa de crescer. Head de e-commerce na rede de pet shops Petz, antiga Pet Center Marginal, Daniel Nepomuceno comenta as semelhanças que mantêm ambos os setores crescendo e funcionando apesar da crise.

"Mesmo que o consumidor precise diminuir as despesas e cortar gastos, ele não vai deixar de comprar alimentos para a sua casa e seus animais de estimação. Ele pode trocar de marca e encontrar produtos alternativos, mas nunca para de consumir", explica o executivo.

Não por coincidência, a seção de comida animal representa a maior parte do faturamento desse mercado, abarcando 67% do total, segundo dados do Sebrae-SP.

Inovação é a palavra chave
Ainda que o mercado consumidor de produtos pet esteja, no geral, nadando contra a corrente da crise econômica, as baixas em alguns setores específicos deste mercado não deixaram de ocorrer.

Tendo isso em mente, abre-se um espaço importante para que novos empreendimentos surjam no mercado e preencham lacunas, tornando-se grandes responsáveis por manter o segmento sempre ativo e aquecido.

Produtos diferenciados no setor de alimentação, como sorvetes próprios para o consumo canino, rações especiais para cães e gatos alérgicos às alternativas industrializadas e acessórios que realmente facilitam o dia a dia, como escova para retirar a sujeira das patas do animal sem precisar tocar nos resíduos, são apenas alguns exemplos da importância do empreendedorismo para o crescimento e bloqueio da crise no mercado animal.

Mercado virtual
Aliar recursos antigos às novas tecnologias também tem sido de grande importância para manter estável o segmento de pet shops. Para Nepomuceno, a criação de e-commerces para lojas de animais já renomadas facilita o acesso e a compra pelo cliente.

"Muitas vezes, a localização geográfica não permite uma ida rápida a um pet shop conhecido. Outras, o cliente simplesmente prefere fazer suas compras pela internet. Explorar esse mercado pet virtual é vital para manter o setor em crescimento", comenta.

A possibilidade de ganhar descontos na primeira compra, receber newsletters com promoções e ter um cartão fidelidade eletrônico são alguns dos atrativos que levam os consumidores a dar prioridade à compra on-line e fazem dos e-commerces um investimento importante para o setor.

Algumas redes de pet shop on-line ainda oferecem alguns diferenciais, como o recurso de deixar um pedido salvo no seu histórico de compras para que ele se repita automaticamente todos os meses.

Pode ser usado para rações, remédios antiparasitários e outros itens que precisam ser comprados com frequência, não existindo mais a necessidade de escolher tudo novamente para receber o produto em casa.

Fonte: Jornal do Correio da Cidade