• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
13/09/2016
Imagem tirada de http://expopetshow.com.br/2015/2015/05/29/mercado-pet-dribla-a-crise-economica/ Imagem tirada de http://expopetshow.com.br/2015/2015/05/29/mercado-pet-dribla-a-crise-economica/

O Brasil é o segundo país no mundo com a maior população de cães e gatos e o terceiro em faturamento com a venda de produtos e serviços desenvolvidos para pets.
É um mercado lucrativo para investir, mas não basta ter paixão e capital. O setor é rigoroso com as regras. “Eu estava ainda no deslumbre do meu negócio, quando já tinha na porta do meu pet batendo a fiscalização. Aí comecei a descobrir que precisava realmente de bastante regras para isso”, conta Angelina.

O alvará de funcionamento é a exigência número um para quem não quer ter dor de cabeça com seu pet shop. Afinal, não é todo mundo que vai aceitar bem a ideia de ter como vizinhos, dezenas de cachorros. O certo é abrir o pet shop em área de zona mista, que tenha residências e comércio.

Angelina também colocou isolante acústico nas paredes e só atende no horário comercial. “A gente tem que procurar fazer boa vizinhança, se preocupando com os detalhes, para não ter esse tipo de problema”.

Outra regra fundamental é ter um veterinário responsável. “É exigido por lei, até porque ele é o profissional habilitado tecnicamente e legalmente para prestar assistência aos animais. É muito importante não só pegar assinatura de veterinário e ele não estar no local, ele tem que estar no local”, explica Leonardo Burlini, assessor técnico CRMV-SP.

Também é preciso adaptar o imóvel para receber um pet shop. “Ele tem que considerar que naquele estabelecimento, as instalações devem ser proporcionais; saúde e segurança e demais aspectos para os animais, funcionários e clientes que terão acesso a esse estabelecimento”, diz Leonardo.

O novo pet shop da Angelina se preocupou com tudo isso. “A gente se preocupa muito com a parte hidráulica, então temos aquecimento a gás, porque assim a temperatura se mantém sempre em 27°C ou 28°C. Porque se for outro tipo de temperatura pode causar problema ou lesão de pele”, explica ela.

O piso, os ralos e até o ar-condicionado do estabelecimento foram instalados pensando no bem-estar dos animais e na higiene do local. Depois de tudo dentro das regras, o pet shop está pronto para funcionar.