• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
31/07/2020
Imagem: amenic181, de envatoelements Imagem: amenic181, de envatoelements

Devido à pandemia da Covid-19, o álcool em gel é um dos produtos que mais ganharam atenção nos últimos meses. Indicado para higienizar as mãos quando não há possibilidade de lavá-las com água e sabão, o componente é item essencial de quem quer se proteger. Porém, para a saúde dos animais de estimação, ele pode ser altamente prejudicial, pois contém percentual de 70% de álcool em sua fórmula. Pensando nisso, a empreendedora gaúcha Agnes Cristina, 36, e o paulista Diogo Petri, 39, desenvolveram o Alcat Pata 70, produto para limpeza de cães e gatos.

À frente da CatMyPet, empresa especializada em produtos para felinos aberta em São Paulo, Agnes explica que, durante a pandemia, muitos bichos de estimação foram abandonados ou sacrificados devido ao boato de que eles transmitiam o coronavírus. Por isso, iniciou a campanha SuperCat, em que promoveu a doação de mais de 200 gatos e realizou lives com especialistas. Nas transmissões, conta Agnes, vários foram os relatos de médicos veterinários sobre intoxicação por álcool em gel nos pets. "As pessoas davam banho com o produto nos animais. Pensei: precisamos arranjar um jeito de fazer essa assepsia de maneira segura", relata.

A empreendedora, então, criou uma força-tarefa para o desenvolvimento do novo produto, produzindo a fórmula em laboratório ao mesmo tempo em que desenvolvia estratégias de comunicação e criava embalagens. "Usamos vários componentes que já tinham ampla pesquisa. Então, ficou mais fácil de aprovar." Em um mês, o Alcat Pata 70 já tinha sido licenciado no Ministério da Agricultura (Mapa), responsável pelos produtos para animais.

No final de abril, a empresa lançou o produto para os pets e ainda o Alcat Gel 70, um álcool gel para tutores com fórmula hidratante para as mãos e que não afeta o olfato dos bichos, e o Alcat Casa 70, produto de secagem rápida próprio para a limpeza da casa e dos objetos. "Além da questão técnica, de higiene, tem também a sentimental. Trazemos um conforto para as pessoas, em que elas podem retomar a vida delas de forma quase normal", afirma.

A linha completa é comercializada no e-commerce da CatMyPet e em mais de 2 mil petshops do Brasil. Com o lançamento dos novos produtos, a empreendedora conta que todas as vendas da loja cresceram em 250%. "Estando em casa, as pessoas se aproximaram mais dos seus pets, têm mais curiosidade sobre o comportamento deles", diz. Para ela, o mercado pet está em alta justamente pela maior compreensão sobre as necessidades dos animais de estimação.

Conforme explica Agnes, a empresa foi criada para ser uma loja com produtos apenas para gatos. Porém, no momento difícil que se instalou por conta do coronavírus, ela percebeu que era necessário desenvolver soluções para todos os bichinhos. "Ao longo da jornada do empreendedorismo, temos que retomar o nosso propósito, que é focar em trazer qualidade de vida", pontua.

fonte: Jornal do Comércio, escrita por Vitorya Paulo



Whatsapp