• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
05/01/2016
Imagem: Gilcilene Araújo/ G1 Imagem: Gilcilene Araújo/ G1

 Para muitas pessoas, os animais de estimação são considerados membros da família e às vezes deixá-los sozinhos durante uma viagem pode ser algo muito preocupante. Pensando nisso, um casal abriu há três anos um albergue para cachorros em Teresina. O conforto, a segurança, os cuidados disponibilizados pelo estabelecimento têm atraído muitos clientes e isso refletiu na lotação do local, neste final de semana pós-réveillon.

Carol Santana e Josuel Rodrigues adaptaram um espaço no quintal da residência, localizada na Zona Norte de Teresina, para cuidar dos animais. Eles passam o dia soltos, brincando e se resfrescam do calor de Teresina na piscina.

Na hora do check-in, os “ hospedes” precisam entregar sua alimentação e objetos caninos como: cama, brinquedos e cartão de vacina.

“Temos 10 canis, entretanto, no local não há mais vagas para novos cães. Alguns de nosso hospedes chegaram antes do Natal e ficaram até após as festas de Réveillon”, contou Josuel Rodrigues.

A comerciante Silvani Lima foi curtir as festas de fim de ano no Litoral e deixou as duas cadelas da raça poodle no albergue do casal. Para ela, o carinho que os donos do estabelecimento dão aos hospedes é o diferencial do serviço prestado.
Comerciante Silvani Lima foi curtir as festas de fim de ano no Litoral do Piauí (Foto: Silvani Lima/ Arquivo Pessoal)

“Uma pessoa nos indicou o local no ano passado. Fizemos uma visita e após aprovação das dependências deixamos nossas cadelas no hotel. Neste ano, não tivemos dúvida de onde, elas iriam ficar enquanto nossa família descansava um pouco. Confiamos no trabalho deles, pois todo os dias recebemos fotos e vídeos delas e isso nos deixa felizes”, relatou.

A diária de hospedagem custa R$ 35. Para fidelizar a clientela, os donos recebem fotos e vídeos de seus animais durante a viagem. “A preocupação deles é como se tivessem deixado um filho, por isso para tranquilizá-los um pouco mandamos fotos e vídeos dos cães para mostrar como estão sendo bem tratados. Fazemos de tudo para que o animal se sinta o mais próximo do seu habitat natural”, destacou Carol Santana.

Ela é jornalista, mas abandonou a profissão, para cuidar de cães. Carol conta que o empreendimento começou de forma despretensiosa depois que observaram que esse segmento era pouco explorado na capital.

“Quando viajamos tínhamos que deixar nosso cão em clinicas veterinárias, onde os animais ficam presos em gaiolas. Isso me incomodava, mas não tínhamos outra opção. Até que um dia decidimos abrir um albergue onde os cães seriam tratados como se estivessem em suas residências. Fui em busca de especialização na áreas e fizemos cursos de comportamento canino para saber como cuidar dos cães”, lembrou.