• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
31/10/2016

A demanda contínua por especialidades, fórmulas relacionadas com saúde em alimentos para animais de estimação oferecem oportunidades para os fabricantes que procuram diversificar.

O mercado global de suplementos alimentares para animais de estimação deve crescer em um CAGR (taxa de crescimento anual composta) de mais de 5% entre 2016 e 2020, de acordo com um estudo de mercado divulgado pela Technavio. Entre estes suplementos estão aqueles voltados para saúde gastrointestinal do pet - um segmento de mercado que espera crescer mais de 5% até 2020 -  incluindo os probióticos e prebióticos.

A medida que os proprietários de animais procuram informar-se sobre a saúde e bem-estar dos seus animais de estimação, tais ingredientes especiais nos alimentos estão se tornando cada vez mais procurados. O aumento desta tendência deve-se, em parte, a humanização: o interesse em alimentos humanos funcionais continua a aumentar, e 33% dos americanos agora dizem tentar comer alimentos com probióticos (10% tentam consumir prebióticos), de acordo com o relatório executivo 2016 da International Food Information Council Foundation. O consumidor tem mais consciência em relação a alimentação humana o que naturalmente se estendeu em maior atenção ao que os membros de quatro patas de suas famílias estão comendo, levando em paralelo as tendências em alimentos probióticos e prebióticos para seres humanos e animais.

Pro/prebióticos como parte de uma maior preocupação com a saúde dos animais de estimação

Hoje em dia há muitas coisas que os donos de animais procuram em termos do que o alimento pode fazer para a saúde do seu animal de estimação, e probióticos e prebióticos são uma fatia de um cenário muito maior de suplementos. De acordo com uma pesquisa nacional com proprietários de animais de estimação da Packaged Facts, altos teores de ômega e antioxidantes e probióticos/prebióticos são apenas algumas das principais reivindicações relacionadas com a saúde em pesquisas de consumo. Entre os entrevistados da pesquisa americana, 7% dos donos de cães e 6% dos proprietários de gato usam especificamente a comida para animais de estimação com a alegação de "probiótico / prebiótico". Enquanto alegações como "alto teor de antioxidante" e "alto teor de ômega" estão em posições mais elevadas na lista. É claro que compradores de alimentos para animais de estimação estão mais do que nunca prestando atenção ao que está sendo consumido nas tigelas de seus animais de estimação.

PREFERÊNCIA DOS PROPRIETÁRIOS DE CÃES E GATOS DE ACORDO COM ALEGAÇÕES NUTRICIONAIS EM PET FOOD

 

DONOS DE CÃES

DONOS DE GATOS

Alto teor de proteína

28%

21%

Carne vermelha como ingrediente principal

20%

14%

Frango como ingrediente principal

19%

24%

Alto teor de ômega

14%

10%

Alto teor de antioxidantes

11%

8%

Probiótico/Prebiótico

7%

6%

Baixo teor de proteína

6%

4%

Nenhuma das anteriores

44%

54%

Tabela 1: Para os proprietários de cães e gatos, a presença de probióticos e prebióticos pode ser um fator nas decisões de compra de alimentos para animais, particularmente quando a saúde digestiva está em questão. Fonte: Packaged Facts, National Pet Owner Survey -  November/December 2015

Há alguns probióticos em particular que aparecem nas fórmulas para animais de estimação, todos voltados especificamente para as doenças mais comuns sofridas pelos animais: Bifidobacterium lactis, que tem como alvo a saúde do sistema imunológico; Bifidobacterium animalis e Lactobacillus acidophilus, que visam a saúde digestiva; Bifidobacterium longum, que tem como alvo a saúde do sistema digestivo e imunológico; e Bifidobacterium bifidium, que tem como alvo a saúde intestinal e do sistema imunológico.

Tendências de consumo confirmam a existência desses probióticos em alimentos para animais de estimação. Segundo dados recolhidos pela Packaged Facts no final de 2015, 9% dos donos de cães em geral e 10% dos donos de gatos em geral compram alimentos com formulações específicas para estômago sensível/digestivo. Em um subconjunto desta tendência, os donos de animais mais velhos têm ainda maior atenção para problemas digestivos, optando por formulas específicas para seus animais: 17% dos que possuem cães idosos com problemas de saúde e 23% dos que possuem gatos idosos com problemas de saúde.

Oportunidade para a indústria

Como animais de estimação vivem mais e são integrados como membros da família, espera-se que as tendências com foco em saúde animal continuem crescendo. Diante disso, existem muitas oportunidades para se concentrar no que probióticos e prebióticos podem fazer em formulações especializadas em dietas completas, como um complemento ou como um ingrediente isolado em conjunto com os fabricantes.

Futuros desenvolvimentos potenciais na tendência probióticos/prebióticos

É claro que alimentos especializados para animais de estimação ainda não atingiram seu limite em termos de desejo do consumidor. A categoria deve continuar a crescer e até mesmo diversificar, assim como os donos de animais se tornam cada vez mais específicos em suas necessidades para a saúde dos seus animais de estimação. Se comparado com as tendências de alimentos humanos e assim os paralelos são inevitáveis, há definitivamente oportunidades para os fabricantes de alimentos que procuram expandir suas especialidades, fórmulas de alimentos para animais com base na saúde.

Fonte: Pet Food Industry