• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
01/08/2016
Desequilíbrio alimentar leva a um quadro de sobrepeso e até mesmo à obesidade dos animais (Foto: reprodução) Desequilíbrio alimentar leva a um quadro de sobrepeso e até mesmo à obesidade dos animais (Foto: reprodução)

Muita gente acha que cães e gatos podem ter mais fome no inverno, especialmente nos dias de frio mais rigoroso. Há quem aumente por conta própria a quantidade de ração, alegando que eles precisam de mais calorias para manter a temperatura corporal.

Mas será que isso é certo? Segundo especialistas, a resposta é não. Essas pessoas, sem saber, estão contribuindo para um desequilíbrio alimentar, que pode levar a um quadro de sobrepeso e até mesmo à obesidade de seus animais.

Como explica a médica-veterinária da PremieR pet, Keila Regina de Godoy, o inverno brasileiro pode ser considerado ameno e não implica em maior necessidade calórica para os pets. “Especialmente se levarmos em conta que a maioria dos cães e gatos que têm lar vive dentro de casa e não fica exposta por longos períodos às baixas temperaturas, além de ser comum o uso de roupas, cobertores e camas”, relata.

Segundo Keila, a situação é diferente de países onde o frio é mais intenso e, de fato, o organismo do animal tem um gasto energético adicional para manter a temperatura. “Nesses locais, sim, cães e gatos podem necessitar de um incremento alimentar para compensar, especialmente se frequentam áreas externas”, esclarece.

Portanto, para a especialista, vale o alerta: em País tropical, o inverno não é desculpa para aumentar a comida do pet, exceto se o animal viver ao relento em um local de frio intenso, por exemplo, um cão de pastoreio no Rio Grande do Sul.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.