• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
20/11/2019
Imagem retirada de https://diariodovale.com.br/economia/gastos-com-pets-movimentam-economia-e-registram-aumento-no-ultimo-ano/ Imagem retirada de https://diariodovale.com.br/economia/gastos-com-pets-movimentam-economia-e-registram-aumento-no-ultimo-ano/

Enquanto a ciência tenta explicar por que o cachorro é o melhor amigo do homem, a afinidade pode ser vista através dos números em relação ao mercado econômico. A paixão pelos animais de estimação movimentou no Brasil R$ 34,4 bilhões em 2018, registrando um aumento de 4,6%, em comparação a 2017, os dados são do Instituto Pet Brasil (IPB).

O mercado animal representa 0,36% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, superando os segmentos de utilidades domésticas e de automação industrial. O Brasil é o segundo maior consumidor de produtos pet no mundo perdendo apenas para os Estados Unidos.

Entre os gatos mensais com os bichinhos estão: alimentação, banho, tosa, vacinação, acessórios, consultas ao veterinário e remédios. Num pet shop, localizado na Vila Santa Cecília, os cuidados com a higiene do animal é um dos serviços mais procurados na loja, que também oferece uma farmácia, além de produtos e acessórios em geral para cães e gatos.

De acordo com a proprietária Quênia Esteves, o plano de banho sai no valor de R$ 145,90, por mês, no qual está incluso banho toda semana, corte de unha, limpeza de ouvido, hidratação e aplicação de remédio para o controle de pulgas e carrapatos. Mordedores, bolinhas, pelúcias, guias e peitoral para passeio, shampoos, camas, casinhas e petiscos também fazem parte da lista de compras dos donos dos animais no pet shop. “Os donos sempre levam um acessório para o bichinho se divertir”, disse.

Uma boa alimentação é fundamental para o bem-estar dos animais, a escolha da ração pode influenciar no processo digestivo e na saúde dos pets. Devido a isso, os proprietários devem ficar atentos durante a seleção do produto, levando em consideração os benefícios. Existem três opções de ração que são as mais vendidas.
– Uma ração de qualidade, por exemplo, Premier para cães, 1 kg custa R$ 35,00. Já a Golden para cães sai a R$ 17,00, 1 kg, e a Golden para gatos custa R$ 21,00, o 1 kg. Há também a Royal Canin para cães, 1 kg custa R$ 51,40 e a Royal Canin para gatos o valor é de R$ 91,00, o 1,5 kg – explicou Quênia.

A dona acrescentou que muitos tutores de pets que preferem uma alimentação mais balanceada compram para os animais uma ração sem transgênicos. Na loja também há essa opção para a alimentação saudável dos animais.

Em média o gasto com um cão de pequeno porte chegar a R$ 274,37. Já um cão de médio porte o valor é de R$ 326,98 e um cão de grande porte R$ 425,24. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem cerca de 132 milhões de animais de estimação, sendo que 52 milhões são cães, 22 milhões são gatos.
O restante dos animais de estimação no país está dividido entre aves, peixes e outros animais exóticos, que são mais econômicos em relação aos gastos mensais. O custo, por exemplo, com peixes gira em torno de R$ 95,00, o valor inclui a compra de um aquário de 40 litros que comporta até 10 peixes pequenos. O gasto com roedores chega a R$ 110, incluindo o viveiro. Já répteis o custo é de R$ 20,00 e aves R$ 18,00.

A auxiliar administrativa Thaísa Cardozo, moradora de Volta Redonda, tem quatro cães e quatro gatos em casa. Ela gasta em média R$ 690,00, por mês, com a alimentação dos animais.

– Compro duas vezes por mês um saco de ração de 15 kg para os cachorros, que custa R$ 230,00, além tem o shampoo, que sai a R$ 15,00 o vidro para dar banho neles, mas não compro todo mês, pois o produto rende bem. As vacinas e vermífugos são procedimentos feitos uma vez por ano, ou seja, além da média ainda tenho o gasto extra anual. Já com os gatos, o valor da ração é semelhante, pois o produto é sem corante o que eleva o preço. Compro um saco de 15 kg também pra eles – comentou.

Gastos com pets vão ser
incluídos em cálculo do IPCA
Os gastos com os pets passam a ser, a partir de janeiro do ano que vem, um dos componentes do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial. Aliás, quase 400 produtos e serviços serão analisados no novo IPCA, com a inclusão de 56 novos itens que refletem novos hábitos de consumo dos brasileiros, como transporte por aplicativo, integração transporte público, serviços de streaming e combo de telefonia, internet e TV por assinatura, além de cuidados com animais de estimação.

fonte: Diário do Vale, escrita por Franciele Bueno

Whatsapp