• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
08/07/2020
Imagem: Gajus-Images, de envatoelements Imagem: Gajus-Images, de envatoelements

Segundo projeção do Instituto Pet Brasil, o setor de serviços e produtos para animais domésticos deve crescer 6,07% em 2020. O segmento é um dos poucos que ainda possui expectativa positiva para o ano, repetindo o feito de 2019 - quando faturou cerca de R$ 35,4 bilhões, somando indústria, serviços veterinários, serviços gerais e comércio de animais.

Neste ano, o ganho deve ser impulsionado pelas vendas via e-commerce, que tiveram aumento de 65% no primeiro trimestre de 2020.

Para Nelo Marraccini, presidente-executivo do Instituto Pet Brasil, "o que percebemos é que, na verdade, não houve um aumento, mas sim, a manutenção do consumo a partir de um canal de vendas diferente".

Esse resultado só foi possível, conforme ele, por que os tutores mantiveram o comportamento de cuidar dos animais e o segmento pet foi considerado essencial com a pandemia - em Porto Alegre, o decreto 20.531, assinado em 25 de março pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior, determinou que pet shops e clínicas veterinárias deveriam permanecer abertos.

A rede de lojas Cobasi, presente em todas as regiões do País, também registra maior movimento. Segundo Daniela Bochi, gerente de marketing da Cobasi, o crescimento ocorreu por ser um varejo essencial, responsável pela comercialização de produtos fundamentais como rações e medicamentos.

Entretanto, o reflexo nas vendas da Cobasi ocorreu de forma diferente ao longo da pandemia - "o comportamento do consumidor mudou mês a mês", afirma Daniela. No início do isolamento social, na segunda quinzena de março, a Cobasi registrou um aumento significativo nas vendas, de 20% nas lojas físicas e de mais de 50% no site.

Conforme Daniela, essa forte alta foi um reflexo da estocagem de insumos por parte dos clientes. No mês seguinte, abril, teve queda, motivada pelo fechamento de 15 unidades da rede, reflexo de medidas de contenção ao coronavírus no País. Depois, a partir de maio, as vendas voltaram a subir e estão em panorama próximo ao pré-pandemia.

Com o resultado positivo, a Cobasi mantém o planejamento. A rede pretende inaugurar mais quatro lojas até o fim de setembro - incluindo a primeira filial em Pelotas. Com os novos pontos e alta no faturamento, a empresa reforçou o quadro de funcionários.

O cenário da rede nacional se repete nas pet shops de bairro, que representam cerca de 80% dos empreendimentos do ramo no Brasil. A Pet Dreams, especializada em estética animal, com duas filiais em Porto Alegre e um spa para pets em Viamão, também viu seu fluxo aumentar durante à pandemia.

Carlos Cobas, sócio administrador da Pet Dreams, ressalta que, a partir do início dos efeitos do coronavírus, em março, subiram os pedidos de tele-busca ou teleentrega. Com isso, houve aumento na demanda por outros serviços. "Procuramos ser mais criativos do que nunca, lançando campanhas de vacina a domicílio, reduzimos o valor das tele buscas para aqueles clientes do grupo de risco e concedemos grandes descontos para os 'heróis da pandemia' (médicos, enfermeiros e técnicos que trabalham em hospitais)", ressalta.

Cobas relata que a entrada de novos clientes, em contraponto a uma redução com os freguês mais antigos, ajudou a melhorar os resultados. Com uma equação que inclui a queda nos antigos clientes mas forte entrada de novos fregueses, Cobas projeta que o movimento da Pet Dreams aumentou entre 30% e 35%.

fonte: Jornal do Comércio, escrita por Luisa de Oliveira



Whatsapp