• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
29/08/2017

O texto abaixo, retirado do “Guia técnico do motor elétrico premium”, esclarece em relação às diferenças do motor premium para os demais, bem como vantagens e desvantagens que tal classe de motores oferece.

O motor elétrico é o mais importante uso final de energia elétrica no país, tendo grande participação no setor industrial. No Brasil, a quantidade de energia que eles processam é de aproximadamente 60% da energia elétrica total consumida no país. Diante disto, qualquer iniciativa que se desenvolva para aumentar o rendimento destes equipamentos, trará benefícios ambientais, energéticos e, principalmente, redução de custos, com aumento da competitividade. Até 2010, eram fabricados motores classificados como standard ou IR1 (motores da linha padrão ou convencional) e motores classificados como de alto rendimento ou IR2. Posteriormente a 2010 (de acordo com a Portaria Interministerial 553 de 2005), somente motores elétricos com eficiências iguais ou superiores aos de alto rendimento (IR2), sob as especificações regulamentadas, podem ser fabricados, comercializados e importados no Brasil. Surgiu então a categoria IR 3, ou “motor premium”. Mas, afinal:

O que é o “motor premium”?

O motor premium (classe ou índice de rendimento IR3) possui perdas reduzidas comparadas com o motor padrão (IR1) e de alto rendimento (IR2) e, consequentemente, rendimento superior. Isto é possível devido a mudanças no projeto, materiais e processos de fabricação mais sofisticados. O rendimento é a relação entre a potência mecânica desenvolvida no eixo do motor e a potência elétrica ativa que ele consome da rede de alimentação. Sua expressão pode ser escrita, em valores percentuais, como:

Qual o custo extra?

Na média, os motores premium são 25% mais caros atualmente, com tendência de diminuição com o aumento da escala nos próximos anos. No entanto, por serem mais eficientes gastam menos energia para a mesma aplicação. Logo, este custo (ou investimento) adicional de aquisição é retornado pelo menor custo operacional. Em resumo, o uso de motores com maiores rendimentos deve ser considerado na tomada de decisão sobre a compra, analisando-se também os custos de operação e não apenas o custo inicial de aquisição. Cabe destacar por fim que, após o retorno do investimento com a aquisição do motor premium, os ganhos financeiros obtidos com a economia de energia elétrica são convertidos diretamente em lucro para o usuário, aumentando sua competitividade.

Vantagens do Motor da Classe IR3 ou Premium

 

As principais vantagens, quando comparados com os motores da linha alto rendimento (IR2) são:

  • Reduzem o consumo e a demanda de energia elétrica (acarretando em redução de custos);
  • Menores temperaturas de operação, acarretando em maior confiabilidade e vida útil, com menores custos com manutenção e postergação de investimentos nas trocas;
  • Rendimentos permanecem superiores para baixas cargas;
  • Minimizam os efeitos dos baixos rendimentos encontrados em motores super - dimensionados (em situações que não se possa redimensioná-los).

 

Afinal, será que vale a pena adquirir equipamentos com motor premium?

A Tabela abaixo é uma fonte de consulta rápida do TRI (payback simples) para a compra de um motor premium (IR3) ao invés de outro da linha alto rendimento (IR2) de 4 polos.

Ela é uma aproximação baseada nas hipóteses do período de funcionamento de 2000, 4000, 6000 e 8000 horas por ano. A tarifa de energia elétrica considerada é de R$ 0,550/kWh e a carga do motor é constante e nominal.

Como pode ser observado, quanto maior a utilização dos motores elétricos, menor o tempo de retorno de investimento. Cabe destacar, que a maioria dos motores elétricos instalados nas indústrias operam mais de 4.000 h/ano.

  

  

 Fonte: