• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
12/02/2021
Imagem: furmanphoto, de envatoelements Imagem: furmanphoto, de envatoelements

Será que mudar a ração do cachorro faz mal? A resposta correta para esta pergunta, é: sim, mudar a ração do seu cãozinho pode trazer muitos malefícios ao animal. Só que em algumas situações, esta troca é bem importante e requer bastante atenção do tutor, visto que há um procedimento de como fazer a alteração para que haja o menor impacto possível na vida do bichinho – e, mesmo assim, os impactos podem ser negativos.

Então, se você quer entender tudo sobre o tema, acompanhe o artigo de hoje do Portal do Dog. Vamos lá?

Mudar a ração do cachorro faz mal? Entenda aqui o que pode acontecer
Sim, mudar a ração do cachorro faz mal para ele. Infelizmente, os nossos melhores amigos são bastante sensíveis a trocas e ajustes na alimentação, visto que eles possuem um organismo extremamente calculado para metabolizar alguns tipos de alimentos. E quanto mais o organismo fica acostumado a um tipo de comida, mais difícil será a troca da ração, pois você estará alterando diretamente a forma como o cão digere a comida.

Isto pode parecer bastante complexo, mas não se assuste: por mais que há muitos indícios de que trocar a ração do cachorro pode trazer malefícios para ele, há também muitos benefícios ao fazer a troca correta, no momento certo e quando ela tem que acontecer.

Mas, por que o cachorro pode sofrer tanto com a troca da ração ou da alimentação de maneira geral? Há vários motivos para que isso aconteça, mas o fator mais comum é a sensibilidade do organismo. O organismo de um cão vai tentar ao máximo otimizar os processos de digestão, para que o corpo gaste somente a energia necessária para processar um alimento e extrair os nutrientes dele.

Só que quando há uma troca brusca, o corpo passa a não identificar mais aquele tipo alimento no organismo e deixa o processo mais complexo, alterando inclusive a digestão em si. E isto pode proporcionar ao seu cachorro várias crises de vômito, diarréia, mal estar e outros sintomas de má digestão, até que ele de fato se acostume com a nova comida.

Quando trocar a ração do cachorro – Entenda as únicas situações que você deveria fazer isso
Até aqui, já entendemos que trocar a ração do cachorro faz mal. Só que em algumas situações, é importante que esta troca aconteça. Afinal, algumas rações são específicas para alguns cães e outras, para outras. No entanto, quais são as situações mais comuns em que o cachorro precisa, de fato, de uma substituição na sua alimentação? Separamos 4 momentos bem específicos em que a troca deve acontecer, veja:

-Cachorro alternando entre as fases de vida – Filhote, adulto, idoso;
-Algum problema grave de saúde;
-Readequação alimentar para controlar o peso e a saúde do cachorro;
-Quando o cachorro não gosta ou não consegue se adaptar a ração;

Vamos explicar cada um dos momentos de maneira mais detalhada logo abaixo. Continue a sua leitura para entender cada uma destas etapas.

Cachorro alternando entre as fases de vida – Filhote, adulto, idoso

As fases da vida de um cachorro são bastante diferentes uma das outras. Portanto, você precisa fazer com que o cachorro passe por cada uma destas fases de uma forma saudável do ponto de vista físico e mental. E para que isto aconteça, claro, você precisa mexer na alimentação do seu cãozinho.

Os cachorros filhotes, por exemplo, vão precisar de muitos nutrientes para crescerem com saúde. Já os cães adultos, vão precisar de uma ração com energia equilibrada, para que não acumulem demais e contraiam doenças perigosas. E os idosos, por sua vez, precisam de ainda mais cuidados nutricionais, para não perderem nutrientes e terem uma velhice saudável e feliz.

Mudar a ração do cachorro faz mal – Algum problema grave de saúde
Outro fator bem importante que muitas vezes vai pedir uma troca de ração, é o quesito saúde. Quando o cão está com algum problema de saúde, geralmente ele vai precisar ter um acompanhamento nutricional para que não haja uma perda de nutrientes. Ou, ainda, caso o seu cãozinho esteja com alguma doença relacionada diretamente com a alimentação, a troca também deverá acontecer.

Por exemplo, se o seu cachorro tem diabetes canina, ele não poderá consumir alimentos que liberem muito açúcar no organismo. Então, as rações premium que tenham este tipo de balanço vão ser as mais indicadas, caso ele esteja se alimentando de outra maneira. Ou, ainda, se você oferece uma alimentação de baixo valor nutritivo e quer melhorar a qualidade da alimentação do pet, a troca também deve acontecer de maneira gradual.

Readequação alimentar para controlar o peso e a saúde do cachorro

Para todos aqueles cachorros que estão passando ou precisam passar por uma readequação alimentar, a troca da ração também será fundamental e necessária. Um cão adulto que ainda está consumindo a alimentação de um filhote, ou um cão castrado que está consumindo a ração de um cão não castrado, precisam passar por uma readequação alimentar para que não sofram com doenças no futuro.

Além disso, o fator peso também está diretamente relacionado com a troca da alimentação do cachorro. Um cão gordinho e com obesidade canina, não pode continuar comendo rações com alto teor calórico. E por isso, o tutor é responsável por fazer uma troca gradual da alimentação, de forma que o animal passe a consumir alimentos menos calóricos.
Mudar a ração do cachorro faz mal – Quando o cachorro não gosta ou não consegue se adaptar a ração

E por fim, um dos fatores mais importantes que pedem a troca da ração do seu cachorro, é o fato de o animal não gostar da comida oferecida. Isto pode ser mais comum do que você imagina, principalmente se o cão já experimentou algum outro tipo de ração (ou até mesmo petiscos caninos). Neste caso, a troca deve acontecer, sempre respeitando os nutrientes e calorias que o cão pode ingerir.

Como fazer a troca da ração do cachorro de maneira inteligente
Mudar a ração do cachorro faz mal, sim, em alguns casos. Alguns cães podem não sentir absolutamente nada no momento da troca. Mas outros, podem realmente passar mal. E para que a troca seja um pouco mais equilibrada e dinâmica, recomendamos que você a faça com extremo cálculo. Veja aqui uma ideia de como fazer a troca:

-Dia 1 e 2: 25% de ração nova + 75% de ração antiga;
-Dia 3 e 4: Meio a meio (50% de cada ração);
-Dia 4 e 5: 25% da ração antiga + 75% da ração nova;
-Depois de uma semana: 100% da nova ração.

fonte: Portal do Dog, escrita por Camila Da Silva