• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
05/09/2018
Imagem retirada de https://www.vetusweb.com.br/em-qual-area-investir-dentro-do-mercado-pet/ Imagem retirada de https://www.vetusweb.com.br/em-qual-area-investir-dentro-do-mercado-pet/

Eles dormem na sua cama, sobem no seu sofá, passeiam de carro e ainda pedem comida enquanto você faz o almoço. Se antes um animal de estimação era o melhor amigo do dono, hoje ele pode ser considerado um filho entre muitas famílias. Essa mudança de perfil também refletiu no mercado pet, e muitos empreendedores viram nela oportunidades de crescimento em áreas que antes não eram tão conhecidas.

Há dois anos Marcela Faquim decidiu abrir a PetCuca, empresa especializada em alimentação natural para cães, depois de trocar a ração das próprias cadelas por uma comida mais equilibrada. Ela percebeu que o trabalho para cozinhar os alimentos de forma correta demandava tempo e dedicação, por isso era desconhecido de muita gente, daí ingressou nesse mercado.

“Em Uberlândia e região não tinha ninguém que trabalhava com alimentação natural para animais. Eu comecei a fazer e vi que tinha mercado. Hoje temos mais de 100 clientes em Uberlândia, Catalão, Araxá, Araguari e também Monte Carmelo”, disse a empresária.

O PetCuca é um sistema de assinatura, onde cada cliente recebe semanalmente, quinzenalmente ou mensalmente as marmitas dos animais congeladas e em três sabores diferentes: carne de frango, carne suína e carne bovina. O valor varia entre R$ 140 e R$ 520 por mês.

“A gente calcula qual quantidade cada cachorro precisa comer por dia, toda a dieta é balanceada e suplementada, e também temos dietas especiais. Uma das vantagens da alimentação natural é poder brincar com os alimentos, e o feedback dos meus clientes é incrível”, disse Marcela, que também produz petiscos naturais apenas com carne e vegetais para cachorros.

Jéssica Delfino é veterinária e trabalha com Marcela desde o início. Ela se especializou na área de nutrição e afirma que vê na prática o bem-estar dos animais que se alimentam de forma natural. “A ração não é algo ruim, mas a comida é fantástica, até na hidratação. A ração tem 10% de imunidade, e a comida natural tem de 70% a 80%. Eu defendo a alimentação natural, desde que seja bem feita”, disse Jéssica.

Suzany de Morais é dona da Princesa, uma cadela de dois anos, que tem um problema de pele. Desde que a Princesa começou a se alimentar de forma natural, ela apresentou resultados positivos em relação a doença. “Me falaram que essa alimentação poderia melhorar a vida dela, e tudo mudou. Hoje ela não come mais ração, e a melhora foi imediata. O cheiro da comida é mais agradável e a disposição dela é outra”, afirmou.

Fernanda Faria, proprietária do Balux Pet Market, pet shop que abriu há um ano em Uberlândia, avalia os clientes como exigentes e tem um mix de 10 mil produtos para animais de estimação na loja. “Queremos agregar valor para o nosso cliente, muitas vezes eles vão encontrar algum produto que nem imaginam que existe. Também trabalhamos com diversos produtos importados, agora estamos com produtos exclusivos para o verão, como piscinas, por exemplo”.

Além das compras, quem é cliente do pet shop tem acesso a um parque que é montado todos os domingos no estacionamento do estabelecimento. “Esse é um dos nossos grandes diferenciais. Vimos que aqui na cidade tem poucos espaços para passear com os cães, e tivemos essa ideia. Também fazemos feiras de adoção e encontros de animais, para os donos compartilharem a paixão por pets. Hoje, a compra no pet shop virou um passeio para os donos e para os animais”, disse Fernanda.

Eber Bispo já transformava pneus descartados em móveis quando decidiu fazer caminhas para cães e gatos, há cerca de um ano e meio. “Hoje em dia quase todo mundo tem cachorro em casa, e a maioria das pessoas cuida deles como se fossem filhos. Então, eu e minha esposa pegamos ideias na internet, testamos algumas formas e começamos a desenvolver os produtos e publicar na internet”, conta.

Atualmente, o empreendedor só trabalha por encomenda e vende, em média, de 30 a 40 caminhas por mês. “Fazemos para todos os portes, utilizamos pneus de carro e até pneus de caminhão. O preço varia conforme o tamanho, a partir de R$ 60 até R$ 160”, afirmou Bispo.

Outro nicho de mercado que está se tornando atraente para donos de animais de estimação é o de planos de saúde. Alessandra Spini, supervisora do PetPlus, que abriu em setembro do ano passado na cidade, afirma que o plano de saúde da loja, o Plano Bem-Estar, desperta a atenção dos clientes. “Ele é mais do que um plano de saúde, é um plano fidelidade, porque os clientes têm desconto em todos os produtos da loja, inclusive na farmácia”, disse. O preço de adesão é R$ 25 e a participação da consulta é R$ 40.
 
PET FRIENDLY
Passear em shopping com o cão já é realidade
 
Deixar de passear em grandes centros comerciais porque o companheiro fiel não pode entrar, é coisa do passado. Em Uberlândia, há estabelecimentos que já se tornaram “pet friendly”, ou seja, são lugares que estão de portas abertas para o seu cão ou gato. “Para muitos, os pets são integrantes da família e deixá-los fora do lazer é quase que inadmissível. Os donos consideram os animais como parte da família e querem integrá-los em seus passeios”, disse Fredson Dourado, superintendente do Uberlândia Shopping.

O shopping permite a entrada de cães e gatos de pequeno porte (com comprimento de até 35 centímetros) com coleiras e guias desde a inauguração, em 2012. A única restrição é sobre a presença dos animais na praça de alimentação e no cinema, apenas pessoas com deficiência motora ou visual conduzidos por cães-guia podem circular.

Desde o mês de julho deste ano, o Center Shopping também aceita a entrada e a circulação de cães de pequeno, médio e grande porte. Todos devem ser conduzidos com coleira e guia, e algumas raças específicas de cães, também devem utilizar focinheira por questões de segurança.
“Notamos a cada dia o crescimento no número de pessoas que vem ao shopping passear com seus bichinhos. Colocamos à disposição do público dispensers com saquinhos higiênicos que podem ser retirados gratuitamente nos corredores do shopping, e os lojistas que também aderiram à ação estão identificados com um adesivo que sinaliza que o pet é bem-vindo. Os clientes também podem retirar petiscos para os bichinhos no Serviço de Atendimento ao Cliente”, diz Larissa Zilioli Pereira, gerente de marketing do Center Shopping.

fonte: Diário de Uberlância