• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
26/06/2019
Imagem retirada de https://www.proteste.org.br/alimentacao/alimento-industrializado/guia-de-compras/guia-de-compras Imagem retirada de https://www.proteste.org.br/alimentacao/alimento-industrializado/guia-de-compras/guia-de-compras

A cada visita ao pet shop, mais e mais opções de ração, com marcas e sabores diferentes, dificultando escolha tão importante. Afinal, como selecionar o alimento ideal para o seu pet?

Para desvendear o mistério e entender as diferenças entre os diversos tipos de ração, o Bem Paraná entrou em contato com Natália Moraes, representantes de informações veterinárias da Purina (empresa que é referência na qualidade de alimentos para os pets).

Segundo ela, os tipos mais comuns de rações são a Standard, Premium (Dog Chow Extralife, por exemplo) e Super Premium (como a Pro Plan). As diferenças entre cada uma se dá, principalmente, pela qualidade de ingredientes nutricionais empregados nas rações e sua digestibilidade (a capacidade do animalem utilizar os nutrientes do alimento).

As rações Standard trazem um alimento mais econômico, empregando uma qualidade menor de proteínas, gordudas, antioxidantes e vitaminas. Já a Premium propõe uma digestibilidade de até 85%, com uma qualidade melhorada de proteínas, gorduras, fibras com função prebióticas e antioxidantes e vitaminas de qualidade. Por fim, a Super Premium tem digestibilidade de até 95% e possui carne fresca como um dos ingredientes,melhorando a absorção dos nutrientes fornecidos, além de trazer ingredientes funcionais e específicos para melhor saúde do pet.

Para a escolha adequada do alimento a ser oferecido para o seu animal, a especialista sugere que o tutor façaprimeiro uma pesquisa sobre a empresa (marca) que oferece aquela ração. “O ideal é analisar o tempo de mercado e aspesquisas desenvolvidas em nutrição pet, obtendo maior segurança na compra do alimento. A Nestlé Purina está presente no mundo todo, tendo sido responsável por inúmeros estudos e pesquisas desde 1916”, comenta.

Além disso, os tutores também devem se atentar à idade e porte do animal, fornecendo sempre a quantidade correta do alimento, que deve ser conservado em ambiente fresco e arejado para se evitar contaminação. “O principal equívoco dos tutores é a sobrealimentação dos pets, incluindo petiscos em excesso e predispondo uma obesidade precoce”, explica.

fonte: Bem Paraná

Whatsapp