• Telefone: +55 16 3934-1055 / +55 16 3615 0055
  • E-mail: ferraz@ferrazmaquinas.com.br
20/10/2020
Por jirkaejc Por jirkaejc

Vamos tentar entender qual como escolher um bom alimento para seu pet, pois a nutrição é uma área muito importante na vida de cada cão, e depende muito da capacidade de escolha do dono.

Lembre-se que alimentos baratos para animais de estimação não oferecem ao cachorro uma nutrição de qualidade. Confira as dicas para fazer a escolha certa.

Como escolher a ração do seu cachorro?

1) Conte com ajuda de um especialista

A sensação de desorientação que se sente quando se está diante da prateleira de ração para cachorro é compreensível, pois, na verdade, nem todos os cães são iguais, e são muitas marcas disponíveis.

Cada cachorro tem gostos e necessidades próprias também e, sobretudo, na área alimentar. Conhecê-los é o um ponto de partida para fazer uma boa escolha.

É possível poder contar com a ajudar do veterinário que pode auxiliar a escolher uma alimentação, além de ler os rótulos e entender o que está por trás de cada componente.

Ele pode levar em consideração a raça do cachorro e suas necessidades.

2. Considere a idade, atividade, raça de seu cachorro  

As características físicas, o comportamento e a saúde geral do cachorro são extremamente importantes na escolha de uma ração.

Filhotes e mães lactantes requerem mais calorias por dia, enquanto animais de estimação idosos requerem menos.

Da mesma forma, raças altamente ativas requerem mais calorias. O tipo e a quantidade de comida fornecida corretamente ajudará o cachorro a não desenvolver problemas de saúde.

3. Aprenda a ler os ingredientes

Lembre-se de que o rótulo lista os ingredientes com base no peso, e as carnes ou refeições à base de carne ocupam o primeiro lugar porque contêm um alto teor de água.

Ao ler os ingredientes no rótulo da ração é importante perceber que eles estão listados na ordem de maior e menor utilização na fórmula. As substâncias utilizadas podem ser de origem de carnes como, peixes, carne vermelha, cereais, frutas, trigo, arroz ou soja, farinha de ossos, entre outros. A primeira substância que aparecer na lista é a quem mais compõe a ração.

Atenção quanto estiver escrito: Milho, Trigo e Soja. Essas são composições alimentares baratas e pouco saudáveis que não são facilmente digeridas pelos cães. Sempre fique atento quando for ler os ingredientes.

4. Encontre uma relação preço-qualidade 

Nem sempre é possível comprar uma ração de qualidade, ou a que gostaríamos para o cachorro. Mas então leve em consideração a relação preço-qualidade.

Também lembre-se que rações baratas a curto prazo podem se tornar mais caras. Muitos cachorros podem acabar ficando doentes e neste caso, os custos com medicamentos e tratamentos podem ser elevados.

Um saco de 15 kg de ração pode parecer caro, mas pode permitir que você alimente seu cão por dois meses.

Que alimento é bom para meu pet? 

Essa é uma resposta bem variável. Não existe uma resposta definitiva, que seja 100% eficaz para todos os animais. A comida ideal sempre "dependerá" de vários fatores, inclusive individuais.

Sabemos que nem todas as marcas são iguais - pelo menos nos limitando a rações - e algumas tendem a usar produtos de qualidade em porcentagens mais altas do que outras.

Lembre-se que as rações podem ser classificadas de: ração econômica, ração standard, ração premium, e ração super premium.

Algumas marcas tradicionais, de acordo com o site Amor aos Pets.com, são: N&D, Güd e Guabi Natural, com pegada natural.

Cachorros com alergia alimentar: verifique os ingredientes

Embora a alergia alimentar em cães geralmente apareça entre o primeiro e o terceiro ano de vida, os cachorros adultos também não estão protegidos.

O rótulo da embalagem é, novamente, a chave: se o cão tem uma intolerância alimentar ou alergia reconhecida, a lista de ingredientes deve ser cuidadosamente revisada, o objetivo é identificar o alimento com problema e escolher um produto onde ele não esteja presente.

E cuidado! Esse gesto simples deve ser repetido toda vez que uma nova ração é comprada, pois não é de se estranhar que os fabricantes mudem sua lista de ingredientes de vez em quando.

O que deve conter a ração de um filhote?

Vamos ver quais os componentes que são importantes para a comida do seu cachorro:

Proteínas: são muito importantes, pois são os “blocos de construção” com os quais os tecidos são construídos e regenerados, por exemplo, os músculos. Eles devem ser sempre de alta qualidade.
Carboidratos: são a fonte de energia, principalmente os açúcares como o amido do arroz, é muito importante que sejam de liberação rápida.
Fibra: auxilia no trânsito intestinal, dando volume às fezes.
Lípidos ou gorduras: fornecem energia. Claro, devemos ter cuidado se a dieta é muito rica em gorduras e nosso cachorro não as gasta, elas vão engordar. Dos ácidos graxos mais importantes, temos ômega 3 e ômega 6. Eles ajudam a manter a pele e o pelo saudáveis.
Vitaminas e minerais: essenciais nos ingredientes de todos os alimentos para cachorros. Cada vitamina tem uma função específica. E os minerais desempenham um papel em várias funções, desde a formação de ossos e cartilagens até a produção de hormônios.
Antioxidantes: antioxidantes naturais são essenciais para manter o sistema imunológico do filhote totalmente funcional.
A dieta do seu cachorro ao longo do tempo
Muitos especialistas recomendam dietas alternadas a cada 2-6 meses, se você estiver alimentando com ração. Isso normalmente significa mudar para uma nova empresa.

Segundo especialistas é sempre importante optar por ração completa e balanceada.

Lembre-se de que as necessidades individuais dos cachorros podem variar. Como sempre, consulte seu veterinário sobre as opções alimentares para seu cão.

É importante que desde filhotes seja fornecido uma ração de qualidade ao seu cachorro, e que contenha todos os nutrientes de que necessita para um desenvolvimento adequado. Assim, ele viverá por muitos anos ao seu lado, e com saúde!

Autor: Rafael Querido - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS